Industrialização chega aos crackers

SÃO PAULO – Um estudo feito pela Imperva aponta que os crackers estão passando por um processo de industrialização, causado pela demanda desses indivíduos.

De acordo com a empresa de segurança, a indústria do crime digital passa por uma fase de refinamento, que tem o objetivo de aumentar sua eficiência, escalabilidade e lucratividade.

O documento chega a definir funções para os diferentes tipos de criminosos, como os pesquisadores, responsáveis por localizar vulnerabilidades em programas e serviços, os fazendeiros, que cuidam do crescimento das botnets, e os negociadores, que fazem a distribuição do código malicioso.

“A emergente industrialização dos crackers é correspondente à maneira com que a revolução do século 19 avançou métodos e acelerou o processo de manufatura de um produto para a produção em massa”, aponta o comunicado da Imperva.

A companhia aponta um ataque coordenado aos domínios educacionais (.edu) como exemplo dessa “revolução industrial”.

“Este ataque contra instituições acadêmicas destaca como a atividade dos crackers se tornou industrializada, atingindo grandes instituições, incluindo UC Berkeley, Ohio State, entre outras. Ironicamente, esta técnica, que é o método mais prevalecente para criar caos no ciberespaço, ainda permanece virtualmente desconhecida do público em geral”, explica Amichai Shulman o CTO da Imperva.

Fonte: Info Online

Anúncios

Deixe um comentário

Ainda sem comentários.

Comments RSS TrackBack Identifier URI

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s