Investigadores de Cambridge fazem avanços na encriptação quântica

O obscuro mundo da encriptação por tecnologia Quantum Key Distribution (QKD) deu mais um passo no sentido de se aproximar do mundo real. Investigadores do Cambridge Research Labs (TREL) da Toshiba conseguiram distribuir chaves de encriptação a uma taxa de 1Mbit/s ao longo de uma distância alargada de 50 quilómetros, tendo-o feito continuamente durante um período de mais de 24 horas. O melhor que, até à data, tinha sido conseguido ao longo de 50 quilómetros foram os 256kbit/s, mas o principal avanço reside na capacidade de executar o sistema sem a necessidade de ajustes manuais.

Isto pode soar demasiado abstracto para uma tecnologia que ainda não tem qualquer aplicação comercial, mas o laboratório considera que se tratou de um feito importante. A tecnologia QKD não melhora a encriptação propriamente dita, mas sim a segurança com que as chaves – no caso da QKD estas podem ser incrivelmente longas – são distribuídas. Trata-se, portanto, de uma tecnologia que distribui estas chaves com a certeza de que qualquer tentativa de intercepção será 100 por cento detectável. Contudo, dado que as chaves são muito longas, a taxa de bits à qual podem ser transmitidas ao longo de determinadas distâncias torna-se uma limitação prática significativa, daí a obsessão com a velocidade.

O problema com o equipamento necessário para fazer com que a QKD funcione é que este é afectado pela mais pequena oscilação térmica dos filamentos de fibra óptica. A equipa de investigadores do CRL descobriu uma forma de detectar e ajustar automaticamente o movimento desses filamentos, esticando fisicamente as fibras para compensar o efeito.

“Isto significa que o sistema pode ser usado por qualquer um. Não é preciso ser-se um especialista em física quântica para o operar”, afirma o responsável do projecto Andrew Shields, segundo o qual “Embora a viabilidade do QKD com megabits por segundo tenha sido demonstrada no laboratório, estas experiências duraram apenas alguns minutos ou até mesmo segundos e obrigaram a ajustes manuais. Esta é, portanto, a primeira vez que uma operação contínua foi conseguida a elevadas taxas de transmissão”.

A tecnologia QKD combina um dos campos da tecnologia mais intensos do ponto de vista matemático, o da encriptação, com um dos mais obscuros, o da física quântica.Com este novo desenvolvimento, a encriptação QKD é agora possível de realizar a elevadas velocidades durante longos períodos de tempo, o que torna a tecnologia prática para aplicações como o vídeo, por exemplo, acrescenta Shields.

Contudo, a utilização prática do QKD poderá estar ainda a pelo menos três a cinco anos de distância, o que é justificado pelo tempo necessário para resolver as questões comerciais inerentes à acessibilidade em termos de valores da tecnologia e à sua aceitação. Um grande obstáculo será, ainda, a ausência de padrões tecnológicos, algo em que programadores e organismos reguladores planeiam trabalhar afincadamente.

Fonte: Computer World

Anúncios

Deixe um comentário

Ainda sem comentários.

Comments RSS TrackBack Identifier URI

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s